Posicionamento do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira frente a artigos publicados na mídia

 

A Folha On Line publicou em 11 de maio de 2009, uma reportagem de Chico Felitti institulada "Vegetarianismo na Balança" (reproduzido no site da SVB em clique aqui), que trata do vegetarianismo no contexto dos distúrbios alimentares e divulga várias inverdades, levando, lamentavelmente, à desinformação.

Os aspectos referentes aos nutrientes na dieta vegetariana já foram abordados em outros textos (clique aqui ) e por isso não faremos menção a eles neste documento.

Eis o parecer do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira.

 

A anorexia é um distúrbio complexo do comportamento alimentar que envolve componentes de ordem psicológica, fisiológica e social. É uma doença que afeta principalmente adolescentes do sexo feminino. Na anorexia, ocorre a recusa em manter o peso adequado com relação à altura, mesmo quando está visivelmente abaixo do que seria saudável e esteticamente adequado. É um dos transtornos alimentares associados ao maior risco de morte. Veja os critérios de classificação da doença no final do texto**.

Portanto, anorexia é uma doença.

A pessoa com anorexia pode ter diversos tipos de comportamento, que vão da restrição ao consumo de alimentos até a vômitos provocados após a alimentação. Como a carne é um alimento com elevado teor de gordura, é natural que pessoas com essa doença, em algum momento da sua evolução, a retirem do cardápio, assim como diversos outros alimentos calóricos (massas, queijos amarelos, doces).

Pessoas desinformadas podem pensar que os vegetarianos têm uma dieta verde, são magros ou, talvez, no auge da ignorância, ficam verdes de fome. Assim, o anoréxico pode se aproveitar do fato de que a população, de forma geral, ainda tem ideias errôneas sobre a dieta vegetariana e usar o pretexto de ser vegetariano como forma de esconder das pessoas com quem convive os indícios de que sofre de anorexia. Isso não é novidade. Afinal, quem tem anorexia não costuma ter reduzida a capacidade intelectual. O anoréxico percebe que a sociedade não aceita passivamente as consequências da doença, cujo tratamento pode ser feito em casa e até em hospitais especializados, com internamento e às vezes com o uso de dietas por sondas (infundidas diretamente no estômago), dentre outras possibilidades. Não é raro que tenha consciência plena do problema mas, mesmo assim, resista ao tratamento.

Desde 1979 há estudos demonstrando que 2,5% a 45% dos anoréxicos usam o discurso do vegetarianismo para ocultar a doença. Se essa análise for deturpada, como aconteceu na matéria publicada, pode-se então concluir que 55% a 97,5% dos anoréxicos consomem carne, mostrando que o consumo de carne está mais associado à doença do que o vegetarianismo.

Portanto, a questão da anorexia é muito clara: o vegetarianismo não leva à anorexia, mas alguns anoréxicos aproveitam a ignorância da população e usam o vegetarianismo para tentar esconder a doença do seu meio social.

Outro ponto a ser comentado no artigo é a ortorexia, alteração do hábito alimentar ainda não reconhecida como doença, embora seja comentada por alguns autores desde o final do século passado.

Ortho significa correto e Orexis, apetite. A ortorexia pode ser considerada uma alteração do hábito alimentar em que a pessoa mostra "obsessão" pelo consumo de alimentos saudáveis, como um "culto" ao alimento saudável. Essa "obsessão" decorreria do desejo de melhorar a saúde, tratar doenças ou perder peso.

O que dizer sobre isso? Até que ponto seria um distúrbio? A ortorexia ainda não é considerada doença, principalmente porque os hábitos da população mundial deixam muito a desejar no quesito saúde e nem sempre é simples avaliar distúrbios mentais em relação a hábitos saudáveis ou não.

Quem tem um mínimo de conhecimento sobre boa alimentação e saúde percebe a atrocidade dos alimentos vendidos diariamente à população. O consumo de alimentos refinados, excessivamente salgados, ricos em gordura saturada, dentre outras variedades reconhecidamente nocivas, é a realidade da alimentação comprada por grande parte das pessoas. E o consumo desses alimentos ainda não foi classificado como distúrbio alimentar. Com base no padrão da ortorexia, talvez pudéssemos estabelecer novos parâmetros de distúrbios alimentares:

• Junkoréxico - proveniente de junk (lixo, sucata) e oréxis (apetite). Junkoréxico é a pessoa que tem verdadeira adoração por fastfood e alimentos refinados, processados e gordurosos. Os portadores desse distúrbio não se incomodam de utilizar alimentos que façam mal à saúde ou não conseguem resistir à tentação de utilizá-los, mesmo quando sabem que não deveriam. Nesse distúrbio, é comum a pessoa fazer a si mesma "promessas" periódicas de que não comerá mais esses alimentos, mas, após algum tempo (geralmente curto), volta a comê-los.

• Crueloréxico - proveniente de cruel e oréxis (apetite). Crueloréxico é a pessoa que se alimenta de produtos derivados da crueldade cometida contra seres sencientes. O crueloréxico pode ser classificado em três subtipos:

a) Crueloréxico consciente - é o indivíduo que mantém o hábito de comer animais mesmo depois de saber que esses seres sofrem para servir de alimento ao ser humano. Pode ou não haver arrependimento logo após a prática alimentar.

b) Crueloréxico pseudoinconsciente - é o que mantém o hábito de comer animais e se recusa a ouvir ou a assistir a cenas que mostrem o que está por trás da sua alimentação.

c) Crueloréxico inconsciente - é aquele que se alimenta de animais sem ter a menor noção de que está comendo seres sencientes e, assim, mantém uma cadeia de dor e sofrimento contínuo de animais.

Se estabelecêssemos esses novos critérios de distúrbios alimentares, quase toda a população mundial poderia receber um rótulo. O que está sendo avaliado são valores, pontos de vista e a consciência de cada um.  A preocupação com os distúrbios surge quando a atitude gerada pelo comportamento ou pela ideia traz consequências negativas para a pessoa e a sociedade. Para muitos vegetarianos, a preocupação também se estende a atitudes que afetam os animais e o meio ambiente, o que, indiretamente, também afeta a pessoa e a sociedade.

Como diz a médica psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva em seu livro Mentes Perigosas, o psicopata mora ao lado.

Aja, alimente-se, difunda os seus ideais de acordo com a sua consciência. Mas seja consciente!

 

**Critérios Diagnósticos de Anorexia Nervosa (DSM IV - Manual Diagnóstico e Estatístico de Desordens Mentais)

A)      Recusa em manter o peso corporal no limite ou acima do esperado para a idade e altura (peso 85 % abaixo do esperado).

B) Medo intenso de ganhar peso ou tornar-se gordo, apesar do baixo peso que apresenta.

C) Alteração na forma de percepção de seu peso e sua forma corporal ou negação na seriedade de seu baixo peso.

D) Em mulheres, após a menarca (primeira menstruação), ausência de ciclos menstruais por pelo menos 3 meses

Subtipos:

1- Restritivo:

Na vigência de Anorexia Nervosa, não há uso de medidas purgativas (vômitos autoinduzidos, mau uso de diuréticos, laxantes ou enemas) ou episódios em que come compulsivamente

2- Purgativo / Bulímico:

Na vigência de Anorexia Nervosa, há prática regular de medidas purgativas ou episódios em que come compulsivamente

 

Características comumente encontradas em pessoas com Anorexia Nervosa (Dados não fornecidos pelo DSM IV):

- Medo intenso de engordar, que depois, se transforma em desejo de ficar magro.

- Uso de dietas restritivas - retirada de alimentos que engordam (doces, massas, carnes vermelhas). A restrição vai aumentando com o passar do tempo, podendo chegar ao jejum absoluto.

- Podem gostar de ler sobre comida e de cozinhar para a família.

- Podem ter rituais relacionados com a comida (cortar em pedaços simétricos, colocá-los no prato de forma determinada).

- Introvertidas, perfeccionistas, sentem orgulho de ter autocontrole, pouco interesse sexual.

- Irritabilidade, dificuldade de se concentrar, menos energia, pensamentos relacionados exclusivamente à comida.

 

Receba as novidades!

Receitas

Midia

Scroll to top